no

Auxílio Brasil: entenda como funciona o benefício e quem pode receber

Anunciado nesta semana pela gestão Bolsonaro, o programa social ‘Auxílio Brasil’ foi lançado com o intuito de substituir o ‘Bolsa Família’, benefício criado em 2003 e que teve como foco atender as pessoas de baixa renda focando na subsistência básica a partir de uma ajuda mensal.

O novo programa foi apresentado com um valor mínimo de R$ 400 destinado as famílias que vivem em condições de pobreza ou extrema pobreza e que atendam a alguns requisitos estipulados pelo governo, como a inscrição no Cadastro Único (CadÚnico), por exemplo.


QUEM RECEBERÁ O AUXÍLIO BRASIL?

Primeiramente é preciso ressaltar que o Auxílio Brasil é totalmente diferente do Auxílio Emergencial, sendo que o primeiro conta com alguns requisitos adicionais e é focado em famílias que possuem renda mensal de até R$ 178 por pessoa.

Um dos principais requisitos é estar devidamente vinculado ao Cadastro Único, portal que reúne diversas informações sobre os brasileiros inscritos em programas sociais, incluindo o antigo Bolsa Família ou a Tarifa Social de Energia Elétrica.

De acordo com o ministro da Cidadania, João Roma, o benefício começará a ser pago aos inscritos no mês de novembro, no entanto a pasta ainda não divulgou um cronograma de quando os inscritos receberão o dinheiro.

VOCÊ PRECISA VER: POR TEMPO LIMITADO! Minizinha está disponível por apenas R$ 10

CADASTRO ÚNICO

Os cidadãos inscritos no Bolsa Família não precisam realizar nenhum tipo de alteração cadastral pois serão migrados automaticamente para o Auxílio Brasil, no entanto, as pessoas que não estão vinculadas ao CadÚnico devem efetuar o cadastro para que a solicitação seja analisada.

Infelizmente não é possível solicitar o cadastramento pela internet, sendo necessário ir até uma unidade do CRAS próxima da sua casa levando os documentos necessários, incluindo:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade – RG;
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) – somente se a pessoa for indígena.

Além dos documentos acima o cidadão que deseja ingressar no Cadastro Único também deve atender alguns requisitos do programa, sendo:

  • Famílias com renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 550);
  • Famílias com renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Famílias com renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo;
  • Pessoas que moram sozinhas – constituem as chamadas famílias unipessoais;
  • Pessoas que vivem em situação de rua — sozinhas ou com a família.

O governo orienta para que todos mantenham seus dados atualizados, sendo possível consultar algumas informações por meio do aplicativo ‘Meu CadÚnico’, que está disponível tanto para Android quanto iOS.

Meu CadÚnico
Meu CadÚnico
Developer: Governo do Brasil
Price: Free
The app was not found in the store. 🙁

SAIBA MAIS


Escrito por Lucas Ribeiro

Redator desde 2016 e apaixonado por tecnologia, smartphones e gadgets no geral. Geek por natureza e nas horas vagas acadêmico em Enfermagem.

Novidade! WhatsApp implementa nova função nas chamadas de vídeo

Por tempo limitado! Star Plus libera acesso gratuito neste final de semana