ALERTA! Golpe do WhatsApp já faturou mais de 3,6 MILHÕES de reais!

 ALERTA! Golpe do WhatsApp já faturou mais de 3,6 MILHÕES de reais!

A internet é um recurso indispensável para muitas pessoas, por conta desse e outros fatores que a cada ano praticamente triplica o numero de estelionato utilizando a internet. Muitos desses crimes são praticados dentro de um mensageiro que acredito que todos nós usamos ou iremos usar algum dia, o WhatsApp! Tudo tem seu lado positivo e negativo, e com a internet não é diferente, você sabia que 5 a cada 40 pessoas já foram vitimas de CyberCrime? Confira abaixo como evitar ser enganado!


COMO EVITAR?

Muitos desses estelionataríos conseguem realizar seus golpes devido a ingenuidade dos usuários, mas podemos evitar perdas
financeiras por golpes virtuais. Uma forma de se previnír é evitar ao máximo compartilhar correntes, um exemplo? ” Como ler as conversas de seus contatos “. Com isso o usuário abre uma grade brecha para que o criminoso consiga roubar seus dados pessoas e logo em seguida divulga-los, causando assim um grande dado a pessoa lesada.


PORQUE ACONTECE?

 


Os criminosos veem na internet um meio fácil de se conseguir enganar pessoas, já que muitos não sabem diferenciar postagens reais de armadilhas, um dos maiores erros cometidos na rede. Segundo estatísticas da Policia Civil, mais de 1,5 milhões de brasileiros já tenham sido afetados com algum tipo de crimes relacionado a estelionato via internet. A forma de crime mais famosa é onde o usuário assina um plano semanal de R$2,50, com objetivo de conseguir ler as mensagens de um contato ou ate
mesmo obter o ” WhatsApp Premium ( FALSO! ) “, desta forma os criminosos conseguiram faturar mais de 3,5 Milhões de reais apenas com esse método!

Fique atento, não clique em links que não sejam de confiança, e muito menos assine algo sem saber a procedencia, a melhor forma de evitar é se prevenindo!!


Lucas Ribeiro

Redator desde 2016 e apaixonado por tecnologia, smartphones e gadgets no geral. Geek por natureza e nas horas vagas acadêmico em Enfermagem.

Postagem relacionada

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.